segunda-feira, novembro 12, 2012

Parada gay, cabra e espinafre - J. R. GUZZO

REVISTA VEJA


Já deveria ter ficado para trás no Brasil a época em que ser homossexual era um problema. Não é mais o problema que era. com certeza, mas a verdade é que todo o esforço feito há anos para reduzir o homossexualismo a sua verdadeira natureza - uma questão estritamente pessoal - não vem tendo o sucesso esperado. Na vida política, e só para ficar num caso recente, a rejeição ao homossexualismo pela maioria do eleitorado continua sendo considerada um valor decisivo nas campanhas eleitorais. Ainda agora, na eleição municipal de São Paulo, houve muito ruído em torno do infeliz "kit gay" que o Ministério da Educação inventou e logo desinventou, tempos atrás, para sugerir aos estudantes que a atração afetiva por pessoas do mesmo sexo é a coisa mais natural do mundo. Não deu certo, no caso, porque o ex-ministro Fernando Haddad, o homem associado ao "kit", acabou ganhando - assim como não tinha dado certo na eleição * anterior, quando a candidata Marta Suplicy (curiosamente, uma das campeãs da "causa gay" no país) fez insinuações agressivas quanto à masculinidade do seu adversário Gilberto Kassab e foi derrotada por ele. Mas aí é que está: apesar de sua aparente ineficácia como caça-votos, dizer que alguém é gay, ou apenas pró-gay. ainda é uma "acusação". Pode equivaler a um insulto grave - e provocar uma denúncia por injúria, crime previsto no artigo 140 do Código Penal Brasileiro. Nos cultos religiosos, o homossexualismo continua sendo denunciado como infração gravíssima. Para a maioria das famílias brasileiras, ter filhos ou filhas gay é um desastre - não do tamanho que já foi, mas um drama do mesmo jeito.

Por que o empenho para eliminar a antipatia social em torno do homossexualismo rateia tanto assim? O mais provável é que esteja sendo aplicada aqui a Lei das Consequências Indesejadas, segundo a qual ações feitas em busca de um determinado objetivo podem produzir resultados que ninguém queria obter, nem imaginava que pudessem ser obtidos. É a velha história do Projeto Apollo. Foi feito para levar o homem à Lua; acabou levando à descoberta da frigideira Tefal. A Lei das Consequências Indesejadas pode ser do bem ou do mal. É do bem quando os tais resultados que ninguém esperava são coisas boas. como aconteceu no Projeto Apollo: o objetivo de colocar o homem na Lua foi alcançado - e ainda rendeu uma bela frigideira, além de conduzir a um monte de outras invenções provavelmente mais úteis que a própria viagem até lá. É do mal quando os efeitos não previstos são o contrário daquilo que se pretendia obter. No caso das atuais cruzadas em favor do estilo de vida gay, parece estar acontecendo mais o mal do que o bem. Em vez de gerar a paz, todo esse movimento ajuda a manter viva a animosidade: divide, quando deveria unir. O kit gay, por exemplo, pretendia ser um convite à harmonia - mas acabou ficando com toda a cara de ser um incentivo ao homossexualismo, e só gerou reprovação. O fato é que, de tanto insistirem que os homossexuais devem ser tratados como uma categoria diferente de cidadãos, merecedora de mais e mais direitos, ou como uma espécie ameaçada, a ser protegida por uma coleção cada vez maior de leis. os patronos da causa gay tropeçam frequentemente na lógica- e se afastam, com isso. do seu objetivo central.

O primeiro problema sério quando se fala em "comunidade gay"é que a "comunidade gay" não existe - e também não existem, em consequência, o "movimento gay" ou suas "lideranças". Como o restante da humanidade, os homossexuais, antes de qualquer outra coisa, são indivíduos. Têm opiniões, valores e personalidades diferentes. Adotam posições opostas em política, religião ou questões éticas. Votam em candidatos que se opõem. Podem ser a favor ou contra a pena de morte, as pesquisas com células-tronco ou a legalização do suicídio assistido. Aprovam ou desaprovam greves, o voto obrigatório ou o novo Código Florestal - e por aí se vai. Então por que, sendo tão distintos entre si próprios, deveriam ser tratados como um bloco só? Na verdade, a única coisa que têm em comum são suas preferências sexuais - mas isso não é suficiente para transformá-los num conjunto isolado na sociedade, da mesma forma como não vem ao caso falar em "comunidade heterossexual" para agrupar os indivíduos que preferem se unir a pessoas do sexo oposto. A tendência a olharem para si mesmos como uma classe à parte, na verdade, vai na direção exatamente contrária à sua principal aspiração - a de serem cidadãos idênticos a todos os demais.

Outra tentativa de considerar os gays como um grupo de pessoas especiais é a postura de seus porta-vozes quanto ao problema da violência. Imaginam-se mais vitimados pelo crime do que o resto da população; já se ouviu falar em "holocausto" para descrever a sua situação. Pelos últimos números disponíveis, entre 250 e 300 homossexuais foram assassinados em 2010 no Brasil. Mas. num país onde se cometem 50 000 homicídios por ano, parece claro que o problema não é a violência contra os gays; é a violência contra todos. Os homossexuais são vítimas de arrastões em prédios de apartamentos, sofrem sequestros-relâmpago, são assaltados nas ruas e podem ser monos com um tiro na cabeça se fizerem o gesto errado na hora do assalto - exatamente como ocorre a cada dia com os heterossexuais; o drama real, para todos, está no fato de viverem no Brasil. E as agressões gratuitas praticadas contra gays? Não há o menor sinal de que a imensa maioria da população aprove, e muito menos cometa, esses crimes; são fruto exclusivo da ação de delinquentes, não da sociedade brasileira.

Não há proveito algum para os homossexuais, igualmente, na facilidade cada vez maior com que se utiliza a palavra "homofobia"; em vez de significar apenas a raiva maligna diante do homossexualismo, como deveria, passou a designar com frequência tudo o que não agrada a entidades ou militantes da "causa gay". Ainda no mês de junho, na última Parada Gay de São Paulo, os organizadores disseram que "4 milhões" de pessoas tinham participado da marcha - já o instituto de pesquisas Datafolha, utilizando técnicas específicas para esse tipo de medição, apurou que o comparecimento real foi de 270000 manifestantes, e que apenas 65000 fizeram o percurso do começo ao fim. A Folha de S.Paulo, que publicou a informação, foi chamada de "homofóbica". Alegou-se que o número verdadeiro não poderia ter sido divulgado, para não "estimular o preconceito"- mas com isso só se estimula a mentira. Qualquer artigo na imprensa que critique o homossexualismo é considerado "homofóbico"; insiste-se que sua publicação não deve ser protegida pela liberdade de expressão, pois "pregar o ódio é crime". Mas se alguém diz que não gosta de gays, ou algo parecido, não está praticando crime algum - a lei. afinal, não obriga nenhum cidadão a gostar de homossexuais, ou de espinafre, ou de seja lá o que for. Na verdade, não obriga ninguém a gostar de ninguém; apenas exige que todos respeitem os direitos de todos.

Há mais prejuízo que lucro, também, nas campanhas contra preconceitos imaginários e por direitos duvidosos. Homossexuais se consideram discriminados, por exemplo, por não poder doar sangue. Mas a doação de sangue não é um direito ilimitado - também são proibidas de doar pessoas com mais de 65 anos ou que tenham uma história clínica de diabetes, hepatite ou cardiopatias. O mesmo acontece em relação ao casamento, um direito que tem limites muito claros. O primeiro deles é que o casamento, por lei, é a união entre um homem e uma mulher; não pode ser outra coisa. Pessoas do mesmo sexo podem viver livremente como casais, pelo tempo e nas condições que quiserem. Podem apresentar-se na sociedade como casados, celebrar bodas em público e manter uma vida matrimonial. Mas a sua ligação não é um casamento - não gera filhos, nem uma família, nem laços de parentesco. Há outros limites, bem óbvios. Um homem também não pode se casar com uma cabra, por exemplo; pode até ter uma relação estável com ela, mas não pode se casar. Não pode se casar com a própria mãe. ou com uma irmã. filha, ou neta, e vice-versa. Não poder se casar com uma menor de 16 anos sem autorização dos pais. e se fizer sexo com uma menor de 14 anos estará cometendo um crime. Ninguém, nem os gays, acha que qualquer proibição dessas é um preconceito. Que discriminação haveria contra eles. então, se o casamento tem restrições para todos? Argumenta-se que o casamento gay serviria para garantir direitos de herança - mas não parece claro como poderiam ser criadas garantias que já existem. Homossexuais podem perfeitamente doar em testamento 50% dos seus bens a quem quiserem. Tem de respeitar a "legítima"", que assegura a outra metade aos herdeiros naturais - mas essa obrigação é exatamente a mesma para qualquer cidadão brasileiro. Se não tiverem herdeiros protegidos pela "legítima", poderão doar livremente 100% de seu patrimônio - ao parceiro, à Santa Casa de Misericórdia ou à Igreja do Evangelho Quadrangular. E daí?

A mais nociva de todas essas exigências, porém, é o esforço para transformar a "homofobia" em crime, conforme se discute atualmente no Congresso. Não há um único delito contra homossexuais que já não seja punido pela legislação penal existente hoje no Brasil. Como a invenção de um novo crime poderia aumentar a segurança dos gays, num país onde 90% dos homicídios nem sequer chegam a ser julgados? A "criminalização da homofobia"é uma postura primitiva do ponto de vista jurídico, aleijada na lógica e impossível de ser executada na prática. Um crime, antes de mais nada. tem de ser "tipificado" - ou seja, tem de ser descrito de forma absolutamente clara. Não existe "mais ou menos" no direito penal; ou se diz precisamente o que é um crime, ou não há crime. O artigo 121 do Código Penal, para citar um caso clássico, diz o que é um homicídio: "Matar alguém". Como seria possível fazer algo parecido com a homofobia? Os principais defensores da "criminalização" já admitiram, por sinal, que pregar contra o homossexualismo nas igrejas não seria crime, para não baterem de frente com o princípio da liberdade religiosa. Dizem, apenas, que o delito estaria na promoção do "ódio". Mas o que seria essa ""promoção"? E como descrever em lei, claramente, um sentimento como o ódio?

Os gays já percorreram um imenso caminho para se libertar da selvageria com que foram tratados durante séculos e obter, enfim, os mesmos direitos dos demais cidadãos. Na iluminadíssima Inglaterra de 1895, o escritor Oscar Wilde purgou dois anos de trabalhos forçados por ser homossexual; sua vida e sua carreira foram destruídas. Na França de 1963, o cantor e compositor Charles Trenet foi condenado a um ano de prisão, pelo mesmo motivo. Nada lhe valeu ser um dos maiores nomes da música popular francesa, autor de mais de 1 000 canções, muitas delas obras imortais como Douce France - uma espécie de segundo hino nacional de seu país. Wilde, Trenet e tantos outros foram homens de sorte - antes, na Europa do Renascimento, da cultura e da civilização, homossexuais iam direto para as fogueiras da Santa Madre Igreja. Essas barbaridades não foram eliminadas com paradas gay ou projetos de lei contra a homofobia, e sim pelo avanço natural das sociedades no caminho da liberdade. É por conta desse progresso que os homossexuais não precisam mais levar uma vida de terror, escondendo sua identidade para conseguir trabalho, prover o seu sustento e escapar às formas mais brutais de chantagem, discriminação e agressão. É por isso que se tomou possível aos gays, no Brasil e no mundo de hoje, realizar o que para muitos é a maior e mais legítima ambição: a de serem julgados por seus méritos individuais, seja qual for a atividade que exerçam, e não por suas opções em matéria de sexo.

Perder o essencial de vista, e iludir-se com o secundário, raramente é uma boa ideia.


284 comentários:

1 – 200 de 284   Recentes›   Mais recentes»
Anônimo disse...

QUE NOJOOOOOOOOOOO DESSE TEXTO!

Guilherme Reis disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Guilherme Reis disse...

Ridículo, o pior que já vi publicado nessa revista!Dessa vez eles não conseguiram camuflar a sua abjeta ignorância.

Logicando disse...

Ridícula a matéria. Não sei se dou risada ou choro de tristeza após ler tantos absurdos.

Mauricio´s banknotes disse...

O Carlos Orsi postou no blog dele um texto simplesmente fantástico, comentando este artigo. Recomendo vivamente a leitura.

Anônimo disse...

Matéria de baixíssimo nível, cheia de preconceitos disfarçados e outros ridiculamente manifestados.

Anônimo disse...

texto escroto! tenta justificar as merdas que fala com coisas que não tem nada a ver uma com a outra!

Anônimo disse...

Guzzo, seu nível é muito baixíssimooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo!!!!

Anônimo disse...

Aqui está uma carta aberta comentando esse texto: http://www.facebook.com/lucas.rezende.75098/posts/10151180309449823

Anônimo disse...

Para fazer uma crítica mascarada é preciso ser inteligente.

Além de preconceituoso você é burro.

André Ribeiro de Oliveira disse...

Texto altamente conservador que revela o preconceito do autor, cuja visão é extramente retrógrada. Mas o que poderia se esperar de um texto publicado em um veículo direitista, elitista e conservador como a Revista Veja?

André Ribeiro de Oliveira disse...

Segue ótimo texto comentando este artigo:
http://escrevalolaescreva.blogspot.com.br/2012/11/artigo-na-veja-sobre-gays-espinafre-e.html

Anônimo disse...

Perfeito. Não podemos nos calar! Eles tentam nos controlar pelo medo, mas não conseguirão.

Anônimo disse...

MUITO RIDÍCULO!
Texto totalmente preconceituoso e feito por um ignorante, com certeza!

Não merece nenhum pouco de credibilidade.

Anônimo disse...

Ta mais do que certo, é a pura verdade todo o texto.

Elton M. Távora disse...

Aaahhh Fala sério. O texto disse tudo.
Se você disser que tem orgulho de ser homosexual, pode. Agora... Vai dizer que tem orgulho de ser hétero para ver o tamanho do problema.

Anônimo disse...

FANTÁSTICO !!!

Anônimo disse...

O que esperar de uma pessoa que escreve na VEJA? Revista tendenciosa e cheia de preconceitos disfarçados. Obrigado por atrasar o país, VEJA. Obrigado, guzzo, por comparar os gays com cabras.

Anônimo disse...

A verdade é que a bicharada quer ser melhor que os outros, mas são simplesmente iguais. Não é normal, mas é opção, seja quem quiser. Mas que o texto ta falando uma verdade isso tá. Gay não é melhor que ninguém, e são os mais preconceituosos contras as pessoas, assim como hoje os negros tb são muito preconceituosos. Agora Negro e Gay virou palavrão e crime. Sei não viu! Aonde vamos parar neste país lixo.

Anônimo disse...

Excelente! Texto extremamente consciente e claro. Na minha opinião o autor usou de argumentos indiscutíveis e distintos da "moda" gay que vem tentando ser implantada em nosso país.
Isto não é homofobia, trata-se apenas de alguém contrário às opiniões homossexuais se expressando!
Deixem vocês de preconceito!

Anônimo disse...

Vi em vários momentos argumentos fracos ou simplesmente desalinhados com a realidade. Como falar em evolução social quando cresce o movimento evangélico dentro da política e tal movimento é extremamente contra a homosexualidade. O seu texto é tendencioso, por mais que eu concorde com alguns pontos (como o fato de homossexuais querem ser uma classe diferenciada), porém no resumo da ópera, o texto tá deprimente. Lamentável.

Anônimo disse...

Outra coisa, é homossexualidade e não homossexualismo. O termo lismo remete a doença ou estado anormal. O que não é o caso da homossexualidade, já que está é uma expressão da sexualidade humana.

Anônimo disse...

Não vi em momento algum nesse texto "homofobia", tudo que foi dito é pura e simplismente a realidade. Porque eu vejo como uma forma de discriminação a leis que querem criar especificamente para o gays, assim como cotas para negros na faculdade. Porque "separar" em grupos específicos é um modo de preconceito que certas pessoas não querem enxergar. PS.: antes de virem me crucificar, já vou dizendo que sou da raça negra e meu melhor amigo é gay, que fique bem claro que nada do que eu disse é por preconceito.

wilson silva disse...

sou gay, tenho 50 anos, e a minha admiração por JR Guzzo se mantém depois desse texto, porque penso exatamente como ele: qualquer pessoa que se prenda a um determinado "padrão", por assim dizer: branco, negro, gay, espírita, católico, etc - deverá se pautar somente por esse "padrão"? eu sou mais do que gay, sou trabalhador, pago minhas contas, assisto tv, ando pela rua, faço tudo o que qualquer pessoa "normal" faz - inclusive na cama, apenas com parceiros diferentes das outras pessoas - ou cabras, hehehe... e, assim como eu não saio perguntando o que as pessoas fazem na cama, eu não admito que me perguntem o mesmo - simples assim... e a fórmula tem funcionado todos esses anos... portanto, gente, parem com a VIADAGEM - e me refiro a gays e héteros que não têm o que fazer - e vamos cuidar das nossas próprias vidas - que tal começar assim? tenho certeza que o mundo ficará um pouco melhor...

Anônimo disse...

Acredito que devemos procurar a igualdade ao contrario dessa segregacao criada por minorias, e a partir do momento que pararmos dar 'nomes aos bois' aprenderemos a julgar uma pessoa pelo que ela 'e e nao pelo que vem com um possivel esteriotipo. Concordo com Guzzo na essencia do argumento e em momento algum ele quis dizer que um gay 'e igual a uma cabra. Para ilustrar aos que nao conseguiram entender oque ele quis dizer ele teve que ir um pouco mais longe, e pelo visto nao deu certo. Foquem no argumento e nao nas ilustracoes.

john disse...

Ótimo texto! Os ignorantes incapazes de formarem pensamento próprio usam esse espaço para tentarem criticar o texto, mas não possuem capacidade para rebater as idéias do autor!

Guilherme disse...

Não sei em que parte do texto ele está sendo preconceituoso. Sério, não vejo preconceito nenhum, o que vejo é apenas um ponto de vista muito bem defendido através de argumentos.

Anônimo disse...

Creio que a opinião do autor não seja uma opinião homofóbica, porém o texto é mal construído e peca na hora das comparações. Dizer que gays não podem doar sangue porque pessoas com mais de 65 anos não podem, isso é argumento plausível? O caso dos gays, todo mundo sabe que é por causa da velha indicação arcaica do tal do grupo de risco.
Entendi, parcialmente, o seu ponto de vista, porém, vejo que o autor nã sabe construir uma retórica. E quem cai em argumentos assim, se não é ingênuo, é no mínimo ignorante.

Anônimo disse...

Engraçado algumas pessoas dizerem em argumentos do autor. Querem ver o que é argumentação?
Sugiro que leiam este artigo: http://carlosorsi.blogspot.com.br/2012/11/a-falacia-da-falsa-dicriminacao.html
Faça-me favor. Vão estudar, ler livros e aprender a construir as suas opiniões.
Mesmo que em algumas partes eu concorde com o autor, a sua argumentação é fraca demais!

Anônimo disse...

Incrível como os gays mais "purpurinados" e sem argumento só sabem partir para a agressão verbal. Não vi um capaz de contrariar o ponto de vista do autor. E dá-lhe crítica e pecha de "homofóbico" e "preconceituoso". Acordem pra vida e só voltem aqui quando tiverem um mínimo de esclarecimento!

Anônimo disse...

Não acho nada de mais o que cara falou. O preconceito está no próprio gay. Vejo muito mais discriminação a uma pessoa pobre, como um gari, do que com um gay. Ele falou o que muitos tem vontade.

Romulo disse...

Ótimo texto, com rara clareza e esclarecedor. Se querem ser iguais à todos, pq querem ser julgados diferentes? O crime é contra a pessoa e não contra a orientação sexual. Aos gays peço que tenham cuidado, porque continuando assim, as empresas pensarão duas vezes antes de contratar um homosexual, porque se precisarem demiti-lo como se faz com qualquer funcionário normal a empresa poderá ser acusada de homofobia.

Rê Azevedo disse...

Achei o texto claro e de linguagem clara. Perfeito pois disse tudo que muitos querem dizer mas se calam. Parabéns ao autor,

Rafa Arroyo disse...

Concordo com tudo que foi dito, o fato de haverem tantos comentários achando esse artigo o cúmulo do absurdo apenas serve para confirmar tudo o que foi dito nele.

Anônimo disse...

merda de texto, vou vomitar uuuuuuuhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh

Otavio disse...

auahauhau o Guzzo é fod*... Consegue ir de esclarecido e "quase-genial"...

"O primeiro problema sério quando se fala em "comunidade gay"é que a "comunidade gay" não existe - e também não existem, em consequência, o "movimento gay" ou suas "lideranças". Como o restante da humanidade, os homossexuais, antes de qualquer outra coisa, são indivíduos."

... a infantil e ignorante ...

"Há mais prejuízo que lucro, também, nas campanhas contra preconceitos imaginários e por direitos duvidosos. Homossexuais se consideram discriminados, por exemplo, por não poder doar sangue. Mas a doação de sangue não é um direito ilimitado - também são proibidas de doar pessoas com mais de 65 anos ou que tenham uma história clínica de diabetes, hepatite ou cardiopatias."

... no mesmo texto!

Put* que me P*riu! Como um cara que consegue ter uma visão diferenciada que não existe uma comunidade gay (pois os gays nao são todos iguais) consegue NÃO ENTENDER o absurdo que é os gays não poderem doar sangue!

haha eu me divirto...

VOZ DO COMPLEXO disse...

Se basear em regras e leis para definir o que está certo é uma falácia. Tudo bem, as regras estão ai para serem seguidas. Mas por que não se pode brigar pelo direito de mudanças? Ter escravos já foi um direito garantido por lei, e mesmo com um movimento de conscientização contra a escravidão, muitos brigavam pelo direito de se manterem donos de escravos, mas houve uma evolução de pensamento. Divergências de opiniões são válidas, entendo seu ponto de vista, quando critica o ato de se criminalizar uma simples opinião, que seria direito de cada um expressa-la livremente. Mas temos que pensar se o que pensamos, achamos ou acreditamos está realmente certo, se não espaço para uma mudança de pensamento, ou se, tal mudança afeta tanto nossas vidas aponte de brigarmos contra elas?

ThiagoRD disse...

Caramba, o autor quer comparar gays com doença e depois comparar gays com cabra (ou qualquer animal, que não pensa e não toma decisão por si só) e o povo não vê preconceito? Nem argumentos fracos?
E como assim para se instituir matrimonio precisa gerar filhos? Quer dizer que casais inférteis não podem casa? Ou seja, devemos cancelar o casamento de todos aqueles que não podem gerar filhos?
Nossa, os argumentos foram muito fracos mesmo e nem estou levando em conta ele ter usado comparações bem esquisitas, ou seja, pela explicação dele o ser humano deveria parar de tentar combater as doenças porque todos os seres (humanos ou não) sofrem disso, então não deveríamos ser diferentes, ou então não deveríamos pedir ajuda ou perdão a deus, já que os outros seres não tem, não temos o porque ter o direito a isso, né?

Dênis Goyos disse...

Repugnante e preconceituoso!

Anônimo disse...

Por isso que esse blog se chama perca tempo, pois perdi meu tempo lendo tanta bestialidade.
quer dizer que no ponto de vista do autor casamento só é verdadeiro quando gera filhos, parentesco? e se um casal hetero for infertil , não poder gerar filhos então eles tambem nao podem se casar.
E o casamento gay entraria na lista de crimes como incesto , pedofilia, maus tratos a animais , por isso é proibido?
Não entendi qual foi o proposito desse texto.Por isso recomendo o blog do Carlos Orsi, o qual comenta esse lamentavel artigo.

Pr. Paulo Balaniuc disse...

mto coerente e lúcido!
aplausos!

Rafael Fernandes disse...

O texto do Guzzo foi claro e premiditador ao dizer de certa forma: Qualquer crítica ao homosexualismo, hoje se torna preconceito. Dito e feito, foi como aconteceu á sua opinião na Veja.

Victor Ferreira disse...

Você foi humilhado no kibeloco, cala a boca! http://carlosorsi.blogspot.com.br/2012/11/a-falacia-da-falsa-dicriminacao.html

Anônimo disse...

Por mais que eu odeie a Veja, não consigo ver homofobia nesse texto.

Anônimo disse...

Texto brilhante!

Anônimo disse...

Assino embaixo.

Selecionado disse...

Ótimo texto!
Parabéns!!!!

Só esqueceu de falar que,
"Parada GaY" é um carnaval antecipado.

Nesta tal parada,
só existe depravação e sacanagem...
Agora, uma luta,
ou algo do gênero... não é a realidade desta tal "parada".

Anônimo disse...

Você está de PARABÉNS. Sua matéria está ótima.

É exatamente isso que está acontecendo na nossa sociedade, só que algumas pessoas preferem ver a realidade de uma maneira diferente.

PARABÉNS, mais uma vez, seu texto é retrato do que está acontecendo.

Anônimo disse...

ÓTIMO TEXTO! querem colocar uma mordaça na sociedade! quem levantar a voz contra o homossexualismo é tachado de "homofóbico", "preconceituoso", apenas por discordar desta prática abjeta!

luiz disse...

não gostei, gays gostam de se sentir ofendidos, homossexualismo não é raça é opção, não gosto do homossexualismo acho a pratica repugnante, entretanto sou desfavoravel a qualquer tipo de agressão a gays, mas que é horrivel é sim, é nojento e desprezivel.

Anônimo disse...

Adoro ver a bicharada rasgando a calcinha de ódio!!!

Anônimo disse...

Ótimo texto! Até que enfim alguém conseguiu falar de forma nuançada a respeito desse tema, sem o estilo binário dos politicamente corretos. Discordo apenas da parte do casamento, pois acho que os homossexuais deveriam poder assinar essa espécie de contrato. De resto, gostei.

Anônimo disse...

Bom texto, embora não concorde. Porém pra maioria das pessoas, se não concorda vira uma merda.

Anônimo disse...

Excelente texto. A visão de grande parte da sociedade.

Anônimo disse...

Pelo teor dos comentários, tá cheio de viado comentando! Deve ser porque o florminense foi campeão brasilerio!

Marcio disse...

Parabéns! assino em baixo. Os comentários raivosos em contrário só provam o quanto reacionários e intolerantes são os homossexuais. Trocamos a ditadura das maiorias, pela ditadura das minorias, que agora querem nos impedir até de pensar. Não gosto da Veja, mas aprovo esse texto!

Fabio Perrotta disse...

Todo mundo acha bonitinho os direitos dos homossexuais, mas duvido que se orgulhariam de ter um filho gay. Bando de hipócrita.

Leandro Evan disse...

Extremamente correto o texto! Todos devem ser tratados como iguais. Lamento a maioria dos comentários que reprovam a matéria. Aqueles que acham que os gays devem ser tratados de forma diferenciada do resto da sociedade é que são os verdadeiros preconceituosos. Estendo o pensamento em relação ao sistema de cotas para negros, direitos especiais para índios e mais tantas outras formas de preconceito e discriminação que a sociedade brasileira vem adotando nos últimos anos.

Anônimo disse...

Perfeito... Todo movimento anti-preconceito é por si só PRECONCEITUOSO.
Isso vale para qualquer um. Gays, negros, feministas, machistas...

Vinícius Dantas disse...

Concordo com o texto, tirando a parte que fala sobre o casamento gay, que pra mim é um direito que deve ser dado à homossexuais. Toda a argumentação desse ponto foi muito fraca e super questionável.

Também fiquei em dúvida em relação a criminalização da homofobia.

Mas de resto, concordo que gays não devam ser mais categorizados por serem gays. Deve enxergar a questão com a naturalidade que ela é na realidade: uma opção pessoal de cada pessoa. E isso deve ser respeitado. Mas não gosto (a exemplo dos comentários desse texto) de classificar tudo que se opõe como homofobia. Foi muito claro e espero que as pessoas entendam antes de ficar jogando milhares de acusações.

Ylaaau D.K. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marcelo Miranda disse...

Belo texto ... mas inevitavelmente os pregadores da moral farão inumeras criticas ... ja é um avanço ate para os propios gays ver um texto abordando este tema publicado em tiragem nacional, tenho certeza que se você fosse conveniente com a opniao de muitos ele seria aplaudido. Mas realmente um grande feito. Parabenssss ... e vida longa a liberdade de exporessão !!!

Anônimo disse...

Comparar cabars com Homossexuais... Ridículo!

Anônimo disse...

Concordo com o texto. Só não compreendo a tal "naturalidade" com que, segundo o autor, evolui a sociedade.

Diego disse...

Concordo com o texto !

Gays, deixem de preconceito e saibam lidar com ideais diferentes dos seus!
Voces são os mais preconceituosos !

Anônimo disse...

Excelente comentário.

Glaucio disse...

Excelente matéria. Não pode existir classe especial de pessoas.

Marcell Chaveiro Silva disse...

Penso como o Guzzo, os Lideres de movimentos são sensacionalistas e homofóbico é qualquer pessoa que não agrada o homossexual. Não é segredo que os homossexuais já garantiram seu espaço e liberdade (ainda tem muito a lutar para conquistar)

Acredito que todos deveriam utilizar as energias na educação, pois nossas crianças são carentes em educação (nem em casa, nem na escola).

Coisa interessante q reparei neste comentário que a cada 10 criticas, 8 são sem argumentos e de uma pessoa chamada Anônimo, (Ate parece uma pessoa somente floodando)

Este cara.. O Anônimo é maior gente. ele é trabalhador, empresario, desempregado, velho, novo, cara é muito vivido, ignorante, inteligente, acho que vou me inscrever no blog desse cara. =D

Nâo qro ser retubante, mas..
Se gostou, diga que o texto é bom,
Se não gostou, não esqueça de ofender o autor.

TEXTO FODÁSTICO DEMAIS!!!!

Anônimo disse...

FORA GAYSTAPO!

Marcell Chaveiro Silva disse...

Realmente existe alguns exemplos infelizes:

http://carlosorsi.blogspot.com.br/2012/11/a-falacia-da-falsa-dicriminacao.html


MAIS AINDA DIGO QUE É FODASTICOS!

Anônimo disse...

Parabéns pelo texto.

Fábio disse...

Simplesmente perfeito! O mesmo praticamente se aplica a todos os outros ditos "excluidos e discriminados", a partir de que TODOS sejam considerados como o que realment são,isto é, humanos, essa bobagem de discriminação se extinguiria por sí só. Mesmo os energúmenos que ao invés de raciocinar sobre o que lê, só pensa em xingar e desfazer da opinião alheia, exercendo por sua vez o ódio que pretensamente quer combater.

Anônimo disse...

Anônimo disse...
Creio que a opinião do autor não seja uma opinião homofóbica, porém o texto é mal construído e peca na hora das comparações. Dizer que gays não podem doar sangue porque pessoas com mais de 65 anos não podem, isso é argumento plausível? O caso dos gays, todo mundo sabe que é por causa da velha indicação arcaica do tal do grupo de risco.

...

Meu amigo, estude. Não é "velha indicação arcaica do tal grupo de risco." É estatístico. Na doação de sangue, resguarda-se quem recebe ao MAXIMO. Então QUALQUER estatistica que aponte um risco maior, como tratamento odontológico recente ou vida homossexual é o suficiente para impedir a pessoa de doar. Enfim, mas se de fato a base biológica subjacente a essa estatística é a caracteristica de o HIV ter sua transmissão muito mais fácil no sexo anal, eu creio que, então, devessem mudar o questionário para sexo anal, homo ou heterossexual. Mas aí eu teria que estudar mais o assunto. Abraços!

Anônimo disse...

Não gosto da VEJA, mas não discordo dos argumentos apresentados no texto do autor.
Poderia concordar, ou não.

Por que todos têm que ter a mesma opinião, ou conforme um mesmo raciocínio??

Não é isso o mesmo que dizer que as pessoas só podem escolher o homossexualismo? E quem de agora em diante, for heterossexual, deve se calar? Não mais poderá expressar sua opção? Seus argumentos? Suas idéias?

Exemplificarei... Poderia suscitar a Coca-Cola como a Heterossexualidade e a Pepsi à Homossexualidade. Mas logo me acusariam de preconceituoso.
Então troquemos a Pepsi pelo Guaraná Antártica, o que sugere no caso uma mera questão de preferências, de gostos.

Não poderá mais ninguém defender seu refrigerante favorito?

O que vale lembrar é que a principal questão é combater a intolerância, a subjugação de princípios, escolhas, liberdades e direitos. Mas para isso, não podemos tolher outros já existentes.

A discussão deve existir. Faz parte de qualquer processo democrático. A intolerância, não.

Pois lembremos, ela é a mesma que por tantos anos discriminou as diferenças, fossem religiosas, ideológicas, sexuais, entre muitas outras.

Portanto, amigos e amigas, não sejamos intolerantes. Mas favoráveis a ouvir, mesmo que não seja o que esperamos ouvir. E a falar o que nós acreditamos.

Concordemos ou não.

Anônimo disse...

To bege. Amei o texto do Gozzo!

Anônimo disse...

Guzzo está certíssimo, homossexualismo deveria ser visto com algo normal tal como h´gente baixa , alta, gorda, magra, que gosta de espinafre ou que não gosta. Isso sim é uma sociedade que respeita a verdadeira minoria que é o indivíduo.

FELDON disse...

É triste quando percebemos que muitas pessoas não conseguem compreender o sentido das palavras em um texto tão claro como este.
Reflexo de uma alfabetização deficiente ou de uma cultura que valoriza o fácil, impedindo o ser de pensar conscientemente.
O autor foi claro e expressou sua opinião de forma crítica.
Com relação às supostas comparações (gays vs cabras), se alguém não foi capaz de entender o que está escrito, ou já começou a ler o texto cheio de preconceitos, ou realmente tem problemas com interpretação de textos.
Mas devo discordar do argumento do autor quanto ao "casamento gay". Juridicamente, a união estável entre pessoas do mesmo sexo, é totalmente diferente da solução apresentada pelo autor, que usou a doação testamentária de forma equivocada, diversa da prevista na legislação brasileira.

Pedro Campos disse...

O texto começa bem. Faz um relato de fatos mas, aos poucos, começa a distorcer premissas - levando a conclusões absurdas.
Lógica deturpada que, na linha de racioncínio, pode-se argumentar favoravel ou contrariamente qualquer coisa.
Poderia exemplificar ou comentar ideia por ideia escrita pelo autor e mostrar a falta de conhecimento aprofundado do assunto principal, bem como assuntos tangencialmente abordados.
Sem entrar muito no mérito do tema, prefiro apenas criticar a lógica "nua e crua" apresentada: o autor foi muito infeliz ao organizar e escrever o texto. Infelicidade essa que parece ser mais característica de ignorancia do que meramente preconceito.

Anônimo disse...

Excelente. Apoio o autor ao trazer às claras esta verdadeira propaganda velada que promove o homossexualismo no Brasil e no mundo. Nossa cultura já está severamente contaminada com este mal social, e como toda doença, deve ser curada.

Carlos Zorro disse...

A bibada ficou louca... mas... muito inteligente e corajosa as colocações do autor!!

Anônimo disse...

O texto do J.R. Guzzo vai de acordo com o que eu penso sobre diferenciação dos homossexuais. Se lutaram tanto por igualdade e respeito, por que se tornarem um grupo para se julgar acima de todos, caso seja aprovada a lei contra a homofobia?

Só fazer uma crítica quanto aos exemplos, que realmente não foram muito bem elaborados, mas a idéia do texto foi fantástica.

Anônimo disse...

Texto excelente. Muito lúcido e temporal. Quero ver alguém refutá-lo com argumentos lógicos. O autor em tempo algum feriu a honra dos homossexuais. Acho que as críticas são de pessoas que nem leram ou não entenderam o texto.

Sérgio disse...

Os comentários desses leitores me dão ASCO. Brasil: paiseco retrógrado, hipócrita e reprimido com mentalidade dos anos 50.

O texto é péssimo. O autor, além de escrever mal demais ('homossexualismo'?), mal consegue disfarçar seus preconceitos gritantes. Utiliza de falácias, comparações absurdas e argumentos totalmente inválidos que só sendo um completo imbecil para nao perceber.

O que me choca é que tantas pessaos concordem com esse monte de asneiras e ainda soltem disparates como 'homossexualismo [sic] é opção' ou 'parada hétero não pode e mimimi' . Graças a Deus estou indo embora desse paisinho de merda no ano que vem e vou pra um lugar civilizado (escandinávia). E não, não sou homossexual, apenas defendo o direito de cada um viver a sua vida e isso iclui sua sexualidade, mas estou venod que o povinho daqui quer mais é viver no passado mesmo.

Anônimo disse...

CARA QUE RIDICULO. APENAS

Anônimo disse...

Pra quem não sabe ler, em NENHUM MOMENTO o autor compara homossexuais a cabras.

Anônimo disse...

Excelente texto... as criticas são em sua essência os "modinhas" da liberdade alienada sem um pingo de senso critico. Se for feita uma analise isenta não há preconceito só uma tentativa velada do autor em crer "um pouco equivocadamente" na sociedade no que se refere a uma evolução de educação nas relações entre os indivíduos... não há essa evolução pois não somos educados com relação a isso..os dispositivos de lei... as manifestações... servem em sua essência pra tentar "de forma esdruxula" educar goela abaixo... isso nao se faz... mas numa analise sem temor não há excessos nem equívocos no texto.

Anônimo disse...

O texto está otimo!
bando de babacas aceitem a verdade!
MUITO BOM!!
As pessoas tinham é que parar de ser hipocritas. Não, ser gay não é legal, não é moral e não é natural.

Rodrigo disse...

Como ser humano eu tenho verdadeiro nojo de você

Anônimo disse...

vcs todos abalam com as estruturas e fecham de cadeado. Bangu e pouco. AfMaria que dor nos quarto. Ai , ui ,ai , ui ...Tô morta .

Anônimo disse...

Muito bem feito o texto, concordo com tudo. Não entendo por quê dizem que tem preconceito aqui, o preconceito está em VOCÊS! Não na lógica, ciência, razão!

Nelson Roberto disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Tudo chupa um pintinho e diz que nao .Aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

Nelson Roberto disse...

Não vi nenhum absurdo no texto. Ninguém é dono da verdade mas o artigo tem muita lógica e certamente representa o pensamento de grande parcela da sociedade brasileira.

Nelson Roberto disse...

Fica claro que o autor faz comparações e cita exemplos infelizes. De modo geral o artigo apresenta uma ideia lógica que é encoberta e distorcida por exemplos nada lógicos. Eu creio que os homossexuais devem ter direitos reconhecidos sim, mas não devem de forma alguma passar de uma "classe" oprimida para uma "classe" opressora. Isso é o que algumas lideranças do movimento gay parecem querer fazer, infelizmente.

Anônimo disse...

Como o próprio autor do texto diz:

"Qualquer artigo na imprensa que critique o homossexualismo é considerado "homofóbico"; insiste-se que sua publicação não deve ser protegida pela liberdade de expressão, pois "pregar o ódio é crime"

Anônimo disse...

Só faltou uma coisa: argumentos sólidos.

O autor dessa comédia dá sentido próprio ao casamento.

Quem é você para estabelecer o que é ou não um casamento, Noel?

Anônimo disse...

Texto perfeito, reflete exatamente o que eu penso! Temos que ter respeito e sermos respeitosos com todos os seres humanos negros, brancos, azuis, cristãos, espíritas, gays, héteros, asiáticos, enfim, com todas as pessoas! Proteger classes é o fim pra mim, assim como as cotas, mas isso é outra discussão. Mas quero dar apenas um exemplo: se estou em um lugar, sei lá, em um show, e tem um cara bêbado me incomodando, mas incomodando muito mesmo, até que eu perca a paciência e dê um soco nele (nunca briguei na minha vida e sou contra a violência, para que fique bem claro, isso é só um exemplo ilustrativo). Talvez ele faria um B.O., talvez eu responderia por agressão, ficaria nisso. Agora se essa pessoa fosse um homossexual, eu seria taxado de homofóbico, que o agredi por ódio, seria mais tenso! Por isso que falo que somos todos iguais e devemos respeitar o ser humano acima de tudo, sem essa de "eu sou isso então mereço mais proteção e leis que me protejam mais que as pessoas que não compartilham da minha opção", seja essa opção sexual, política, religiosa... Enfim, estou contigo Guzzo!

Anônimo disse...

Ganhou um fã. Finalmente alguém com coragem pra falar a verdade! E o texto não é preconceituoso como alguns estão insinuando. abs.

DanielFolador disse...

Troquem a palavra gay por negro e a palavra homofobia por racismo, e vejam que as mesmas argumentações do Guzzo podem ser usadas para defender o racismo.

Guzzo diz que se o direito não é ilimitado, não há discriminação. Idosos e pacientes com históricos de certas doenças não podem doar sangue, mas o motivo é obvio e justificado; qual a justificativa de se proibir gays de doar sangue?

Ainda, o casamento só existe se produzir filhos? E os casais estéreis, ou mesmo os casais que optaram por não ter filhos? Não são casamentos legítimos?

Leiam o texto do Carlos Orsi, está órimo:
http://carlosorsi.blogspot.com.br/2012/11/a-falacia-da-falsa-dicriminacao.html

wandelei disse...

sou gay, e concordo com o autor, gays fazem tudo para as pessoas o odiarem, querem ter privilegios, pensam que sao pessoas acima de todos. posso dizer que quero ser tratado normalmente.

Wagner damas disse...

Perfeitas as colocações.
Quanto ás criticas acima, coço querendo entender, como pessoas que lutam por duas identidades, se apresentam como anonimos na hora de defende-lãs. Segundo, quero que me expliquem em quê, aquele circo de horrores chamado de parada gay, ajuda a mudar a opinião publica?
No momento em que deveriam fazer um esforço para em publico, mostrar que são pessoas que produzem, que estão inseridos na sociedade em vários campos, esforçam-se para afrontar a sociedade com suas preferencias sexuais. Fantasiando-se ao máximo e ridiculamente.

leandro disse...

é um texto classificatório, pois quem é gay gostou, quem não é detestou, que merda de texto!!! vou vomitar.

Dilon Bittencourt disse...

O mais irritante nessa cruzada a favor dos viados, é que eles querem dar o rabo - um direito, desde que reservado a sua intimidade -, querem dizer que dão o rabo, querem demonstrar que dão o rabo, mas não querem que digam que outros digam que eles dão o rabo. Cadê a paridade nessa questão? Estão pousando de coitadinhos, mas querem afrontar os que são contra e não sofrer as consequencias. Se eu ficar sem tomar banho, vou ser discriminado, porque incomodo aos outros. Quem disse que é normal dar o rabo? VTC.

Anônimo disse...

Perfeito!!!

Anônimo disse...

Concordo com o texto!!! Até quando seremos obrigados a viver uma palhaçada chamada "politicamente correto".

Thiago disse...

quem não vê preconceito e discriminação disfarçados nesse texto, são exatamente o tipo de leitor que autor quis atingir.

Paulo disse...

Parabéns pelo texto. Retrata bem como os homossexuais estão tentanto ditar a sociedade as sua normas e ideais de vida. Se voÇe for hetero e se manifestar publicamente, voçê vai ser taxado de homofófico.
O que os gays querem mais? eles já podem manifestar suas preferencias publicamente, isso não é o bastante?

Bruno disse...

Qual o preconceito no texto??? o texto teve por objetivo mostrar que quem tem preferencias pelo mesmo sexo é igual a qualquer um e que não merece tratamento diferenciado em relação a ninguem. Toca em temas polêmicos e toma uma posição. Agora se a posição é contrária a posição do chamado "movimento gay" é outra história, porém, deve ser respeitado... mais uma vez as minorias se colocam como vitimas. Não podem ser criticadas por suas condutas?? Podem sim. O texto indicou uma opinião desse vitimismo que vem sendo gerado no meio social e muitos dos comentários abaixo só reforçam isso. A população ou fica com pena ou fica com medo.

Anônimo disse...

Concordo com o texto em gênero, número e grau. parabéns!

Allan Cardozo disse...

Como bem mencionou o nobre Autor, o que vai em desencontro com "CAUSA GAY" é homofobia. Note-se pela imensa quantidade de comentários infantis e sem fundamentação (texto de merda, ignorante, homofóbico, vou vomitar e outras asneiras). Não sou gay, não sou homofóbico, mas não gosto de certas condutas. Tenho amigos gays, amigos heteros, e conheço pessoas terríveis do meu ponto de vista, gays e heteros. Respeito a quem me respeita, e também na maioria das vezes a quem não me respeita. Mas tenho, no fundo, pena de quem acha que para garantir seus direitos tem que vestir uma tanguinha de lantejoulas e ficar se esfregando em outros homens na avenida paulista. Não concordo com todas a ideias do autor (direito meu)mas concordo com o contexto (direito meu também). Afinal, a coisa é simples. Respeite e será respeitado. Um casal gay se agarrando em beijos torridos em qualquer lugar choca tanto quanto um casal hetero.
Lutem por igualdade, por direitos, por proteção e equiparação. Mas o façam de modo racional e honesta, afinal, você gay que defende seu ponto de vista, tem como obrigação respeitar o ponto de vista de quem tem teses contrárias às suas. Como dito, respeite e será, consequentemente, respeitado.

Amanda disse...

Precisamos do kit gay justamente para proteger as crianças de seus próprios pais! Como exemplifica este texto infeliz, certamente algumas famílias estimulam o preconceito usando exclusivamente argumentos errados.

Anônimo disse...

E mais: os ditos 4 milhões de pessoas que pulverizaram a paulista poderiam eleger 10 deputados, senadores, enfim, um exército de políticos em favor de seus interesses. Já que são tão organizados e unidos em prol deste carnaval, unam-se de modo a fazer as coisas do modo certo. Não precisarão fazer papéis ridículos como se expor na parada e mostrarão que ideais sérios.

Matheus disse...

Texto brilhante, parabéns.
Difícil argumentar de foram tão abrangente e não deixar de ser imparcial.
Pena que alguns leitores não contra-argumentam, simplesmente criticam por não entender o que leram.

Anônimo disse...

Estagiario?

Maurício disse...

Texto extremamente tendencioso e tentando mascarar preconceitos.

Não sou gay, mas acho válido o movimento dos homossexuais, pois, ao contrário do que ocorre com os negros, onde tentam transformá-los a todo custo em "super-cidadãos", através de sistemas de cotas, feriado (dia da consciência negra), etc., os gays não reivindicam direitos acima dos demais. Pelo contrário, querem apenas os mesmos direitos. Casamento por exemplo, o que justifica apenas poder ser entre homem e mulher? O colunista alega que "tem que ser assim". Tem que ser assim por que? Por que está na lei? Ora, o que eles querem é justamente mudar a lei.

PS: Comparar um ser humano com cabra foi tenso...

Anônimo disse...

Quem tem argumento de verdade: http://jeanwyllys.com.br/wp/veja-que-lixo

Mário Ricardo disse...

um texto absolutamente normal. ele não disse nada que já não sabemos ou que a lei já expressa.
os gays falam tanto em liberdade de expressão, mas não gostam quando são contrariados.

Anônimo disse...

Só falta pedirem para que o autor seja preso por ter escrito esse artigo. Agora toda palavra de desagrado contra um determinado grupo é preconceito e, a vencer os projetos políticos, logo será crime também.

Coisa completamente diferente é incitar ataques contra homossexuais. Isso se chama incitação ao crime e já está na lei. Se a lei não funciona, é porque o sistema policial-judiciário está em frangalhos.

Viva a liberdade de expressão... para mas só para as ideias das quais gostamos. : /

Fernandin disse...

Perfeito o texto. Não retiro uma vírgula!

Fernandin disse...

Perfeito o texto. Não retiro uma vírgula!

Ângelo Bernardes disse...

Por favor, não ressucite o Manual do Politicamente Correto.

Amanda disse...

Parei de ler na primeira vez que você escreveu "homossexualISMO". Burro.

Anônimo disse...

Em relação a doar sangue, o motivo todos sabem, é o fato de ser considerado um grupo de risco. Por isso reclamam de discriminação.
Por que ao invés de discutir filosofia, direito e sociologia os interessados (contra e a favor) não vão discutir medicina? Atualmente é real que a probabilidade de um gay seja mais exposto a doenças cuja transmissão se dá por via sanguínea? Lembremos que nesse caso se trabalha por média, não por indivíduo.
Os críticos ao texto se negam a responder esse tipo de pergunta porque isso não ajuda em sua defesa ideológica.
Triste do país onde se abandona o pragmatismo e passa a se legislar apenas em defesa de "causas". Causas se constroem conforme a vontade dos ideólogos do momento.

Anônimo disse...

noffaaaaaa... ficaram nervosas foi?

Anônimo disse...

Eu nem vou entrar no mérito ideológico. Só gostaria de chamar a atenção para os argumentos. Ninguém vê que isso se trata de pura e simples falácia? Vocês não têm senso crítico para avaliar as coisas?
Olha essa argumentação fraca. Pelo amos de Deus, comparar gays com cabras.
Até entendo o que o autor quis passar, mas seus argumentos são bastante ruins.

Anônimo disse...

Meu Deus... Essa censura gay é uma piada! Vocês tem todo o direito do mundo de se expressar e de protestar da maneira que for, assim como quem escreveu a matéria também tem -.-

Eduardo disse...

Concordo 100% com o texto! Parabéns Guzzo.

Anônimo disse...

Ótimo texto! Se querem ser iguais pra que então leis diferenciadas? Agora a "comunidade homosexual" dizer e querer empurra goela a baixo que a relação de casais do mesmo sexo é normal ai já é demais!

André disse...

Realmente o texto é muito bom e ao contrário do que pensam os homossexuais que o condenam, chega a ser favorável aos mesmos em todos os pontos. Basta não apenas lê-lo, mas entendê-lo.

Paulo Silva disse...

Parabens Guzzo!!! Disse tudo....

Anônimo disse...

Sabe o que é esse texto? Uma retórica vazia. Simplesmente isso.
Agora é interessante ver que muitos engolem isso sem o menor senso crítico.
Que alguém seja a favor do que o autor escreve é uma coisa, mas não vê as falhas do texto já é burrice.

Tonia disse...

Este texto traz argumentos claros sobre uma opinião que há tempos carrego comigo. Mas que nunca poderia falar abertamente já que seria acusada de homofobia. Já tá na hora de criarem uma lei contra 'heterofobia' pois é isto o que sinto em muitos comentários, estes sim tendenciosos, que vi por aqui.

Anônimo disse...

Muito bom. Texto de altíssima qualidade. Parabens por expressar tão bem a verdade.

Beto Waltz disse...

Excelente.. Parabéns pelo ótimo texto. A mais pura verdade. O próximo passo e convence-los de que precisam se tratar. Esse ódio que eles carregam das pessoas normais precisa ser tratardo.

Du Nata disse...

Para seguir a discussao: http://jeanwyllys.com.br/wp/veja-que-lixo

Anônimo disse...

Ótimo texto. Apenas citou verdades e fatos bem exemplificados.

Anônimo disse...

as comparações são esdrúxulas... caba, espinafre etc... alguns raciocínio e jsutificativas tb são rasos e mereceriam mais cuidado. o "bojo" no entanto, é coerente. Os homossexuais - e todas as outras minorias (sexuais ou não) - não podem almejar privilégios. Tem que buscar a igualdade, com racionalidade. Uma pessoa não pode discrimar outra (por qualquer razão) mas tb não pode ser obrigada a gosta da opção da outra. Uma coisa é não poder agredir, a outra coisa é ser obrigado a gostar...

Anônimo disse...

Vão ler! Pelo amor...

http://jeanwyllys.com.br/wp/veja-que-lixo

Anônimo disse...

http://jeanwyllys.com.br/wp/veja-que-lixo

Leo disse...

O cara tem algumas linhas de raciocínio interessantes, mas derrapa em outros argumentos bem idiotas.

Aí a galera perde a linha nos comentários (sejam pró ou contra o textos) e escrevem tbm um monte de baboseiras..

Anônimo disse...

Concordo com tudo q esse cara falou. Melhor ainda eh o Putin, q proibiu a baitolagem na Russia!!
Bolsonaro pra presidente!!!

Anônimo disse...

Excelente, desmascarou muita mentira que jogam na nossa face,o movimento gay quer privilégios e posam de vítima para conseguir.

Luis disse...

O texto, realmente, não foi feliz. O autor poderia ter se expressado melhor. Ser homossexual não é algo que se escolha, em determinado momento da vida, como não se escolhe a altura que teremos na vida adulta, ou a forma como nascem nossos cabelos. Se assim fosse, eu e muitos outros (quem sabe todos) homossexuais do mundo teriam alterado a nossa natureza já mesmo na adolescência. Algumas pessoas nos tomam como doentes (a OMS descaracterizou homossexualidade como tal), outros como sem-vergonhas e, nos comentários anteriores teve até "mal social". E não queremos ser mais do que os outros, queremos os mesmos direitos civis, independentemente de nossa classe social, religião, etnia.
Também não adianta vir com discursos bíblicos, pois o mesmo deus que os ultra-religiosos usam para nos atacar, é o que eles defendem como o único criador. E sendo o único criador, e tendo feito o ser humano a sua imagem e semelhança, ao dizer que nós, homossexuais, somos abominados por este deus, é, também, reconhecer que o próprio deus erra em suas criações, colocando por terra sua perfeição!
E quem diz que "não é normal", lembre-se de quantas vezes quis mudar o próprio corpo para ser "mais bonito" aos olhos da sociedade, através de uma cirurgia plástica corretiva. Sendo você "normal" não deveria querer corrigir nada, certo?.
Se cada indivíduo parar e olhar profundamente para dentro de si, descobrirá tantas coisas para prestar atenção, que deixará seu semelhante ser livre para também se conhecer, e teremos, então, mais tempo de fazer com que o ser humano evolua em todos os sentidos.

Anônimo disse...

Uma boa crítica disso tudo no blog abaixo:

http://carlosorsi.blogspot.com.br/2012/11/a-falacia-da-falsa-dicriminacao.html


Gilson Junior disse...

A maioria das pessoas que comentaram aqui contra o texto não entenderam o que o autor quis dizer, eu entendi perfeitamente e concordo com o autor.

Alto nível, ele foi muito claro, os próprios homossexuais dão um tiro no próprio pé o tempo todo. Se eles querem tratamento igual devem se considerarem iguais e não diferentes.

As mulheres conseguiram seus direitos numa sociedade machista se considerando iguais e não diferentes.

Mas os homossexuais sempre tentam conseguir seus direitos já se considerando algo a parte da sociedade.

Luis disse...

Continuando o comentário anterior:
Ninguém está pedindo para que se "goste" de nós. Gosto é uma questão de conhecimento: quando conhecemos alguém ou algo, teremos que conviver um determinado tempo com este alguém, ou algo, para identificar o que nos é agradável ou não nesta convivência.
Não estamos querendo "transformar a sociedade" em completamente homossexual, gente! Prestem atenção!
As pessoas não vão ser influenciadas na infância, caso seus pais tenham amigos homossexuais, ou sejam homossexuais. A questão do ato sexual, em si, também não interessa, porque os homossexuais não transam nas ruas, como cães, transam nos locais apropriados, como qualquer outra pessoa.
Pra quem diz que ver dois homens ou duas mulheres se beijando, ou andando de mãos dadas na rua, é nojento um esclarecimento: também não é agradável ver um casal heterossexual se atracando, em público, como se o mundo fosse acabar, e eles precisassem arrancar as próprias roupas, ali mesmo.
Tudo na vida carece de bom senso. Cada pessoa tem que ter em mente seus direitos e deveres como cidadão, como indivíduo. Ser responsável o suficiente para colher as consequências de seus atos, sejam bons ou ruins.
Nós, homossexuais, não queremos ser tratados como superiores pois, se assim fosse, estaríamos reivindicando ser isentos de impostos, já que não temos o respaldo legal para algumas coisas simples.
Algo em que todos nós precisamos estar atentos é: os legisladores estão, mesmo, a favor da sociedade?
E se o seu filho for homossexual, você gostaria que ele tivesse, também, seus direitos de cidadão cerceados? Gostaria que as pessoas o apontassem como doente ou coisa pior?
Ah, e antes que alguém pense bobagem: não! Eu não tenho a intenção de me casar, até o momento. Nem mesmo com uma cabra! :P

Anônimo disse...

Concordo, ótimo texto !

Ana Cristina disse...

Simples e lógico :)
Vivemos numa sociedade em que não discrimina mais ninguém, muito menos homossexuais, não estamos no Irã, que enforca os homossexuais, nem na Idade das Trevas. Há muitos anos, na faculdade, muito antes disso tudo acontecer,eu li um dado que dizia que a maior parte (algo como 80%) da população homossexual, é da classe A e B . Ou seja, de coitadinhos, não têm nada, muito pelo contrário. Vocês que criticaram o texto me digam, vocês têm problemas para conseguir emprego por causa da sua orientação sexual? Vocês apanham ou são cuspidos nas ruas? Têm problemas para entrar num supermercado para comprar algo?

Anônimo disse...

Ótimo texto, concordo plenamente com o autor.

Rodrigo Siqueira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rodrigo Siqueira disse...

Muito bom o texto, que bom que ainda existem pessoas racionais. Deprimente são os comentários, como disse um senhor que diz ter 50 anos e ser gay, acima nos comentários - "Parem com a viadagem, gays e héteros."

Junior-Maringá/pR disse...

Simples, direto e objetivo. Parabéns!

VitorGrando disse...

Aos incautos, pensem:

Os maiores crimes da história da humanidade foram realizados em nome dos mais altos ideais e, diga-se de passagem, causados por revolucionários políticos e por seus ideais - igualdade, justiça social, etc. (a história o prova). Assim sendo, nunca é demais cautela quanto às "nobres" reivindincações desses grupos. Não digo que os resultados serão o mesmo, mas sim que a história nos ensina um pouco de ceticismo como de ideais elevados.

A luta contra a "homofobia" é muito bela do discurso. Mas, além de se pautar em inúmeros falsos dados, seu caráter é tornado evidente quando analisamos o CONTEÚDO disposto em suas propostas. Quando Jean Wyllys chega ao ponto bizarro de taxar Clodovil de homofóbico [!] é porque esse sujeito já perdeu a sanidade há séculos e, portanto, há de se ter muito cuidado com esse tão "honrado" cidadão.
Basta analisar o que dispõe o Estatuto da Diversidade Sexual - é um completo disparate. Eu quero saber, na letra da lei, o que dispõem suas [da militância] propostas. Não me interesso com slogans bonitos.

Não há nada de errado com o texto. Vocês podem discordar. Mas dizer "que nojo", atribuir-lhe adjetivos pra lá de batidos como "direitista, reacionário, retrógrado" não dá!

Cresçam e aprendam a argumentar.

VitorGrando disse...

Wilson Silva,

Parabéns pela sua lucidez e sua coragem de se expor como homossexual.

Não tenho amigos próximos que sejam homossexuais, mas seria um prazer tê-lo como amigo. Sempre é bom estar ao lado de gente inteligente.

Já de militantes como Jean Wyllys e Luiz Mott, eu quero distância.

Anônimo disse...

Acho que ninguém se atentou ao fato de que o que o autor quis dizer foi em relação à condição humana diante desse preconceito de todos os lados. Sinceramente, apesar de ver comparações com tons fortes e polêmicos, entendo que este tema foi abordado de forma bem plausível e de grande abrangência. Negros, brancos, ricos, pobres, cristãos, muçulmanos, gays, héteros... No final, todo mundo é um ser humano e tem suas características próprias. Não sou a favor da discriminação em nenhum caso, mas também não concordo com protecionismo de nenhuma raça. Deve haver leis que iguale a todos, e não que diferencie.

samohT disse...

O texto estava indo bem e em muito eu, gay, tenho visões similares à do autor, agora, conforme avança começam as inverdades baseadas em premissas e comparações absurdas.
O autor inclusive fala que um casal gay não pode ter vínculo de parentesco... Ridículo.

Emiliano Carvalho disse...

Parabens. Pragmatico, simples e claro, sem arrodeios!

Juliana Soutelo disse...

Escrevi algo muito parecido em meu blog há um ano...Não vejo o porquê de tanto mimi...A maioria sequer deve ter entendido!
A quem tiver interesse em ler: http://juliana-soutelo.blogspot.com.br/2011/12/gente-nao-quer-so-comidaa-gente-quer.html

Anônimo disse...

ADOREI O TEXTO! COMUNIDADE GAY NÃO EXISTE! O QUE EXISTE É SOCIEDADE CIVIL! CADA UMA COM AS SUAS PREFERÊNCIAS SEXUAIS!

Anônimo disse...

FANTÁSTICO! PARABÉNS!

Joao disse...

As coisas estão tão loucas que percebam que a maioria das pessoas que postaram comentários a favor do texto estão anônimas, será medo de serem taxadas como homofóbicas?

Juliana Soutelo disse...

Ele foi infeliz em alguns exemplos, principalmente quando tratou o assunto do casamento, que eu sou a favor. No geral, acho que ele foi mal interpretado, e as pessoas tendem a misturar as opiniões, não conseguem por exemplo isolar o escritor do seu empregador, no caso a malfadada Revista Veja. Acredito que estamos indo por um caminho perigoso, onde interesses políticos são mascarados diante de assuntos polêmicos. O ponto mais interessante da matéria é quando o autor diz que não podemos jogar todos os homessexuais no mesmo bloco, afinal, além da condição sexual, são indivíduos diferentes entre si. O que não podemos fazer é uma caça às bruxas, na tentativa de tolir pensamentos. A discussão sempre será válida, desde que se tenha respeito pela opinião alheia e que se saiba separar ideias de caráter.

Anônimo disse...

voce conhece algum homossexual? tudo o que o senhor está falando é completamente ludico e imoral.
Trabalhe em um banco e fale que voce é gay. Veja como te tratam, as piadas e o respeito. Comparar pedofilia e amo com CABRAS com gays? É POR CAUSA DE PESSOAS COMO VOCÊ E QUE LÊEM A REVISTA CARAS QUE AINDA EXISTE O PRECONCEITO.

David Denis Lobão disse...

Nojento o texto do J. R. GUZZO. Como a Veja teve coragem de publicar algo tão homofóbico?

Rossana disse...

Que texto preconceituoso e burro! Os gays não querem privilégios, querem ser tratados iguais a todo o mundo!!! Ou o pessoal que apoia esse autor acha que não existe discriminação? Por favor!

Anônimo disse...

TODO MUNDO ACHA BONITO, MAS QUERO VER QUEM TORCE PARA O FILHO SER HOMOSSEXUAL

Anônimo disse...

Acredito entender a postura do autor, ele apenas destaca que o preconceito é justamente tratar de forma diferenciada um cidadão por qualquer rasão pessoal (subjetiva) que não deveria interferir na sociedade. Hoje eu não sei se me refiro a um descendente da etnia africana como negro, preto, ou afrodescendente, sendo que não muda em nada o que sinto por esta pessoa muda apenas o fato que qualquer destes nomes pode me levar a julgamento por preconceito, desde que seja a intenção da "vitima", sendo que nunca agredi, discriminei ou mal-falei de uma pessoa desta descendência. Então explano meu raciocínio no seguinte contexto: para os movimentos gays os homossexuais não podem ser comuns, ou cidadãos, não basta ser um humano, tem que ser especiais ter direitos específicos e além de qualquer outra pessoa. Nisto se reflete o contra-ponto do autor, esta condição, se vier existir, dará inicio a um novo movimento ao dos heterossexuais que querem e exigirem os mesmos direitos e benefícios que os gays, e assim no fim teremos uma sociedade não de minorias mas de "desprivilegiados". Quero meu direito de não ser a favor do homossexualismo, mas não sou contra , cultivo o viva e deixe viver.

márcio ferreira disse...

matou a pau! parabéns!

Anônimo disse...

Um texto excelente e conciso !

Anônimo disse...

Texto simplesmente perfeito. Lúcido e coeso. Há muitas formas de preconceito, e nem por isso há uma legislação específica para tratar cada tipo. Se fosse assim, nossa já intrincadíssima legislação seria, além de inaplicável, a própria definição de surreal.

Sergio disse...



Parabens por uma visão clara e definitiva .Agora e so esperar os processos contra discrinação.
E bom ouvir alguemque pensa como a minoria Hetera.Precisamos mesmo de uma voz que fale por nos ou vamos ser extintos.

Pedro disse...

Perfeito texto, chega desse mimimi dos homossexuais, ninguém aguenta mais essa choradeira. Acho tão engraçado pessoas que se dizem desprivilegiadas para justificar benefícios sociais ou pessoais em vez de batalhar de verdade por eles ou aceitar o que são.

Anônimo disse...

Discordo com o Autor....
...Neste texto o Sr. parte do princípio de que somos todos tratados iguais pela lei e pela Sociedade e por isso não haveria necessidade de abrir um "excessão" para os homossexuais....mas isso não é uma realidade aqui no Brasil...muito pelo contrário!

....Somos sim tratados de forma desiguais... Infelizmente...seguindo a lógica do seu texto...só faltou o Sr dizer que não existe racismo no Brasil...e que poderiamos extinguir a lei de discriminação racial no Brasil...pois somos um povo lindo e unido e bonzinho! ....É claro que o fato de os negros serem a maioria nas classe mais baixas é pura concidência do destino..não é?......sendo assim quando um homossexual assumido não é admitido em uma empresa é concidência também!...certo?....

...Este texto parece ter sido escrito por alguém que desconhece o que há atrás das paredes de seu próprio mundo...e é uma pena....pois quem deixa de enxergar a grande vista do lado de cá é você...

Anônimo disse...

Texto fantástico. A sociedade já está cansando da tirania gay. Os gays são mais preconceituosos e autoritários do que a sociedade que eles acusam de oprimi-los.

Anônimo disse...

Cara comentário contrário a este texto é na verdade um tapa na cara de pessoas ridículas (as que comentáram contra o texto) por não gostar de serem contrariadas ou confrontadas com VERDADES.

PARABÉNS!! Nunca ouvi falar de você mas já sou fã!

Lia disse...

O texto, além de mal escrito e carregado de "achismo" desconstrói todos os argumentos de que casar com gay é igual casar com cabra no seu ultimo paragrafo onde relata a evolução da "comunidade gay" no mundo.... Esse movimentos na inglaterra e na França ão aconteceram sem protestos,ou conscientização ou textos, reflexões e convocação do direito...ninguém acorda e do dia prá noite o mundo mudou sem luta ou sem movimentação....Os homossexuais são sim hostilizados apenas por sê-los.....caricaturizados, chacotas mil e cima e ainda hoje, ter um filho gay é uma desonra prá muitas familia.
Pobre autor, jogou fora a força histórica da manifestação e força popular....Uma anta!!!

Anônimo disse...

Porque tanta polêmica sobre a Homossexualidade? Porque as pessoas se incomodam tanto com os outros?

Incomodados deveríamos ficar com a violência, corrupção, fome, miséria, injustiça e crueldade.

Mas... queremos mesmo é saber o final da novela, TV a cabo com 200 canais, viver nossas vidinhas medíocres e nos incomodar com quem tem os culhões de se aceitar como é.

Desde a década de 40 o mundo não era tão careta. Mas naquela época havia um motivo: era o mundo que o mundo conhecia. Depois, vieram as revoluções musicais, culturais e comportamentais das décadas de 60 e 70 e deveríamos ter aprendido a ser menos preconceituosos. Mas hoje "moderninho" é o sujeito que prega virgindade, lê Padre Marcelo Rossi, escuta sertanejo universitário e têm como ídolo o Jair Bolsonaro.

Que mundo bunda-mole! Que falta fazem Elvis Presley, Jim Morrison, Raul Seixas, Freddie Mercury, Kurt Cobain, Cazuza, Renato Russo e tantos outros...

"Meus heróis morreram de overdose. meus inimigos estão no poder"

Anônimo disse...

Excelente Texto. Parabéns ao autor e aos editores.

Anônimo disse...

Eu não leio a Veja, nem gosto dela. Mas esse texto é muito bom. Isto não significa que concordo com tudo que está escrito, mas a linha de raciocínio faz todo sentido. Parabéns.

Anônimo disse...

excelente texto.. possui ótimos argumentos e trata de forma bem criteriosa os assuntos tocados. gostaria de parabenizar o autor por sua coragem em expressar seu ponto de vista.

Anônimo disse...

sabe o que é engraçado? é um animal ignorante achar comparação com cabras uaheuhaeu, porra, vc pode ser gay, mas estupido (a) é foda...

Anônimo disse...

Engraçado que os comentários refletem exactamente o que o autor diz.

Anônimo disse...

Há algum tempo pensei em linha de raciocínio semelhante. Não existe liberdade ilimitada. Pelo fato de alguém requisitar para si um "direito", não quer dizer que haja verdade. Eu por exemplo nasci pobre, porém quero comprar uma FERRARI com R$10.000,00 e me discriminam dizendo que eu não posso fazer isso. Casar com 2 ou 3 mulheres, também outra discriminação. Sejamos sempre lúcidos.

Anônimo disse...

Creio que muitos gays aqui ficaram ofendidos em ouvir verdades simples e atemporais...
Homossexuais não são privilegiados, não é uma escolha como muitos dizem, é algo que vem da essência da pessoa, a atração pelo mesmo sexo. Ou seja, nada de especial nisso. Você estão guerreando consigo mesmos, por inconscientemente não se aceitarem, tem que buscar uma forma de se sentirem melhores e diferentes dos demais cidadãos ( sem generalizar, muitos gays são bem resolvidos sim ).

Igualdade e tratamento ético a todos os cidadãos. Sem restrições, castas ou privilégios.

Anônimo disse...

Não analisando o texto em si, as palavras que o autor usou ou deixou de usar. Mas em seu contexto, o autor diz uma coisa que é verdade: os gays gostam de se fazerem de vítimas. Não tenho nada contra, o que não gosto de pessoas (isso serve para qualquer opção) que gostam de se privilegiar por alguma condição que não os faz diferente. Ser gay não é igual ser inválido, não necessita de atenção especial, apenas o respeito e isso deve partir de cada um.

Anônimo disse...

Claro pra você, que provavelmente se identifica com a homofobia e deve ser um analfabeto funcional de primeira, além de ser um conservador daqueles.

Anônimo disse...

Há uns asnos aqui que acham que lutar por seus direitos é uma coisa errada. Também, em um país dominado pela ideologia católica e duas vertentes, em que ter direitos é contra a moral, em que sofrer é o caminho mais digno, não podia ser diferente. Reivindicar, no Brasil, é ser tachado de vagabundo, de bicha, de maconheiro, pois afinal, para meio cidadão de bem, uma borrachada só basta! A ditadura REALMENTE cumpriu seu papel, e reforçou mais ainda nosso estilo senhor-de-engenho-coroné-dono-de-fazenda.
Para vocês, asnos: a opinião que vocês veiculam como sendo de "toda a sociedade" não é a opinião da minha sociedade. Provavelmente, a sociedade de vocês é essa que mata antes de perguntar, que segrega e chama de bandido depois, que humilha, ameaça, coopta e depois diz que "a culpa é sua por ser analfabeto, ser desqualificado e não saber votar", que estupra suas mulheres e diz que "foram estupradas porque não sabiam como se portar", que mata de fome e sede e diz que "os vagabundos adoram bolsas-família".
Enfim, como já diria aquele ditado, toda burguesia tem a porra do Robespierre que merece.

Eduardo Moreira disse...

Fico estarrecido com alguns comentários, não aceitam uma opinião diferente, se apegam apenas às pequenas coisas. A única coisa que o texto demonstra é que todos são iguais, independentemente da sua opção sexula, raça, cor, credo. Quanto ao casamento, este pressupõe a união entre HOMEM E MULHER, não tenho nada contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo, mas para tanto deve haver uma legislação compatível... No mundo inteiro ao se permitir a união entre pessoas do mesmo sexo houve uma lei com tal previsão, o Brasil foi um único que por puro ativismo judicial reconheceu a possibilidade de tal união sem uma previsão legal, com fundamentos tirados do sovaco! Estamos sofrendo cada vez mais com uma ditadura da minoria, nos submetendo ao politicamente correto sem a possibilidade do debate, uma vez que qualquer opinião contrária incita o ódio daqueles que não concordam! Homossexuais, heterossexuais, bissexuais são, acima de tudo, indivíduos e, conforme previsto constitucionalmente, iguais entre si, devem possuir os mesmos direitos e deveres, devendo, mesmo que não concordando com sua orientação sexual ou sua opinião respeitar o outro!

Eduardo Moreira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Eduardo Moreira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Do mesmo jeito que há fundamentalista que lutam contra os direitos gays, há fundamentalistas gays que não admitem qualquer crítica. O homossexual não é inferior a ninguém, é uma pessoal normal. Portanto, a exigência um tratamento igualitário deve parte dos próprios homossexuais, e não tratamentos diferenciados como legislações específicas. Devem evitar a própria vitimizalização e o argumento que todos que pesam diferentes são homofóbicos. Vocês não precisam disto, são iguais a todos e pontos final.

Anônimo disse...

Como permaneceria o mundo se todos os homens se relacionassem sexualmente com homens e as mulheres com mulheres?

Anônimo disse...

Ótimo texto! Com algumas ressalvas, mas com boa base de argumento e bem escrito.

Anônimo disse...

TEXTO PERFEITO, PERTINENTE E SEM O PADRÃO REDE GLOBO DE OPINIÃO... PARABÉNS AO AUTOR DO ARTIGO.

Anônimo disse...

Parabéns pelo texto!!!!!
Já cansou essa 'blindagem' aos homossexuais.

Francisco Oliveira disse...

Parabéns pelo texto!
O autor simplesmente argumenta, com fatos contundentes, o que grande parcela da população pensa sobre o assunto.
Quanto o argumento é contundente, gera discussão, pois, longe de ser relegado à indiferença, trata co veracidade e propriedade a questão da "minoria gay" e da "agenda gay" no Brasil.
Parabéns, Guzzo. Continue avançando!

Anônimo disse...

Perfeito.

Anônimo disse...

Não vi homofobia, mas é certo que certas comparações inflaram os ânimos. Comprarar a cabra foi muito infeliz. Já quanto ao uso do termo homossexualismo, tem anos e anos que a sociedade em geral o utiliza, sem a intenção de caracterizar como se fosse doença. Mas bastou o Jean Willis, que é formado em letras, explicar o significado do sufixo, que todo mundo passou a condenar quem repete a palavra. Em termos de direitos, o texto é correto, pois não se deve pedir mais direitos do que os demais, pois somos todos humanos e vivemos na mesma sociedade. Não é porque um ou outro cabeça de bagre comete atos de preconceito, que todos os héteros devem ser julgados. A legislação já pune a violência, seja qual for o resultado ou o motivo da mesma.

Anônimo disse...

O texto é correto. Somente os viados viram defeitos. Eles se concentram em dizer: "que nojo" e outras expressões iguais.

Coisa de viado.

Anônimo disse...

Brilhante!!!!!

«Mais antigas ‹Antigas   1 – 200 de 284   Recentes› Mais recentes»